Foto: Divulgação

Em uma força-tarefa realizada na Amazônia, o ICMBio, em parceria com a Embratur e a companhia aérea Azul resgataram dois filhotes de onças. As onças filhotes Naurú e Piatã foram resgatadas em Miritituba, distrito de Itaituba, no Pará, e levadas para a capital, Belém, onde vão receber tratamento adequado da equipe do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Além da Embratur e da Azul, a operação que também envolveu a Polícia Militar. O voo que transportou os dois filhotes e os veterinários envolvidos na operação foi realizado na tarde desta quinta-feira (4).

Uma das duas pequenas onças foi encontrada no dia 24 de junho por trabalhadores de uma empresa portuária de Miritituba. O primeiro filhote era uma fêmea, mais tarde batizado de Naurú, que significa corajosa e guerreira em Tupi Guarani. Uma equipe da Polícia Militar de Miritituba recolheu o animal, e na volta para a base, foi informada que mais um filhote foi achado nas mesmas condições. A equipe retornou e resgatou o irmão, que ganhou o nome de Piatã, que significa fortaleza em Tupi Guarani.

Apesar de estarem em bom estado de saúde, a equipe decidiu realizar o resgate pois os irmãos tinham apenas dois meses de vida e teriam pouquíssimas chances de sobrevivência, se permanecessem no local. Não há confirmação sobre o que aconteceu com a mãe, mas é possível que tenha sido caçada ou morrido após atropelamento.

Como na região não havia nenhum Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS) com condições de receber os animais, o ICMBio buscou apoio das instituições que pudessem atender a demanda.

O Centro Amazônico de Herpetologia, localizado em Benevides, cidade que fica a 40 km de Belém e a mais de 1.300 km de Itaituba, foi a instituição mais próxima encontrada. O centro possui um recinto de 70 metros quadrados onde os filhotes de onça-parda serão tratados até terem condições de serem reintroduzidos na natureza.

O ICMBio buscou o apoio da Embratur, que é parceira institucional em acordo de cooperação técnica de promoção turística dos parques nacionais. A Agência fez intermediação com a única companhia aérea que atua em Itaituba, a Azul Linhas Aéreas. Ao saber da situação, a empresa prontamente se ofereceu para realizar o transporte dos animais. A equipe do Instituto então providenciou todas as informações e documentação para que a missão pudesse ser realizada.

“Agradeço imensamente à Azul por ter atendido, de pronto, ao nosso pedido de ajuda, para que o ICMBio pudesse dar seguimento à operação de resgate. Essa sinergia é uma demonstração de como estamos todos envolvidos no mesmo projeto de país. As onças agora terão todo o cuidado necessário para sobreviverem com saúde”, destacou o presidente da Embratur, Marcelo Freixo.

LEIA TAMBÉM: Embratur lança prêmio “Brasil Tá Pra Game”, em São Paulo