Em menos de sete meses de gestão, o índice que não chegava a 65% bateu 88,53%, em maio de 2024;
Pelas medições internas da concessionária, em junho a pontualidade ficou bem próxima da registrada em maio, chegando a 86,18%.

Com pouco mais de sete meses de gestão no aeroporto de Congonhas, a Aena Brasil atingiu uma importante marca em relação à pontualidade, índice que influencia diretamente a experiência do passageiro. A Cirium, uma das principais consultorias do mercado de aviação do mundo, cravou que o aeródromo atingiu 86,18% de pontualidade no mês de maio, ficando em segundo lugar no ranking mundial entre os aeroportos grandes de alcance regional.

“Desde que a Aena Brasil assumiu Congonhas, em outubro de 2023, enfrentando uma pontualidade abaixo de 65%, em menos de sete meses conseguimos colocar CGH no pódio, alcançando a segunda colocação entre os aeroportos mais pontuais do mundo entre os grandes aeroportos”, comemora Kleber Meira, diretor do aeroporto.

Para chegar até esse nível de pontualidade, uma das estratégias foi investir bastante em relatórios e análises dos dashboards em tempo real. Os resultados foram constantemente compartilhados internamente, com gestores das empresas aéreas, além da alta liderança da Agência Nacional de Aviação Civil e do Departamento de Controle do Espaço Aéreo.  A pontualidade dos voos é um dos critérios de avaliação mais relevantes porque atesta a capacidade operacional do aeroporto, a qualidade do serviço prestado e a eficiência no atendimento aos passageiros e às companhias aéreas.

“A importância da pontualidade nos aeroportos, especialmente nos hubs, não pode ser subestimada. Congonhas (CGH) é o aeroporto mais estratégico e importante para a malha aérea brasileira, conectando várias cidades ao aeroporto mais central da principal cidade da América Latina”, reforça Meira. 

A Cririum classifica os aeroportos em quatro categorias, com base no número de assentos oferecidos nos voos de partida e no alcance dos voos. Globais, 25 a 40 milhões de assentos, que atendem a pelo menos três regiões do mundo; Grandes, 25 a 40 milhões de assentos, mas que não atendem a pelo menos três regiões; Médios, 15 a 25 milhões de assentos; e Pequenos, 5 a 15 milhões de assentos.