Foto: MTur

Em busca da melhor qualificação de profissionais do setor, o Ministério do Turismo promove o curso “Turismo Acessível na Língua Brasileira de Sinais”. As inscrições estão abertas e vão até o dia 1º de julho. O objetivo da Pasta com o curso de libras é contribuir com os serviços turísticos inclusivos voltados à pessoa com deficiência auditiva. As vagas são ilimitadas e destinadas a empresários do ramo, funcionários de bares, restaurantes, hotéis, pousadas, resorts, parques aquáticos, parques temáticos, guias, motoristas, gestores e demais interessados.

Oferecido em parceria com a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), o curso conta com vídeos, recursos multimídia, cartilhas e folders, infográficos interativos e e-books como material didático. Ao final da capacitação, os alunos estarão aptos a colocar em prática o aprendizado, promovendo, assim, a acessibilidade, a inclusão e a melhoria no atendimento oferecido ao turista com deficiência auditiva.

A capacitação em Libras é composta pelas seguintes disciplinas: Surdez e Sociedade; Língua Brasileira de Sinais; Comunicação com surdos; Alfabeto Manual; Saudações/Sinal de nome; Tempo; Valores monetários; Localizações; Meios de transporte; Informações Turísticas; Equipamentos, serviços e atrativos turísticos para o cliente/turista surdo; Tecnologia Assistiva Auditiva para a pessoa surda; Boas práticas para atender o cliente/turista com surdez: visão de mercado; e Barreiras Comunicacionais.

Para o ministro do Turismo, Celso Sabino, a Língua Brasileira de Sinais é um aspecto fundamental para a promoção de um turismo acessível. “Precisamos qualificar os profissionais envolvidos e oferecer um atendimento personalizado e eficiente ao turista com deficiência auditiva. O turismo deve ser comprometido com a diversidade e igualdade de acesso, contribuindo para o pleno desfrute turístico desse público”, observa Sabino.‎ ‍ 

TURISMO ACESSÍVEL – Pontos turísticos, hotéis, restaurantes e outras atrações reconhecidas pela acessibilidade estão reunidas no site ou no aplicativo para smartphone “Turismo Acessível” do MTur. Nele, também é possível avaliar os estabelecimentos e atrativos turísticos conforme a acessibilidade disponível. O site ou app permite que pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida viajem pelo Brasil com mais autonomia e segurança. ‎ ‍ 

De acordo com a Lei 13.460/2017, pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida devem ser atendidas com urbanidade (civilidade); respeito; acessibilidade; cortesia; presunção da boa-fé do usuário; igualdade; eficiência; segurança; e ética. Além disso, o atendimento deve ser prioritário. ​ ‎ ‍