Iberia marca recorde histórico de capacidade entre a América Latina e a Europa: companhia superará os 5,3 milhões de assentos em 2024

Valor representa um crescimento de mais de 16% em relação a 2023 e um avanço superior a 20% em comparação ao período pré-pandemia

A conectividade da Iberia entre a América Latina e a Europa marcará este ano um novo recorde ao superar os 5,3 milhões de assentos entre as duas regiões.

Essa capacidade ultrapassa a marca histórica anterior da Iberia na América Latina, que em 2023 foi de quase 4,6 milhões de assentos conectando ambos os continentes. Assim, este ano, a capacidade total representa um crescimento de 16,4% em relação ao ano passado, e de mais de 20% em relação aos números registrados antes da pandemia, em 2019.

Além disso, há um aumento significativo nos voos disponíveis aos clientes. Em 2024, a Iberia irá operar mais de 320 voos semanais, um número muito superior aos 280 registrados durante a temporada de verão do ano passado na Europa, ou aos 300 que criaram uma ‘ponte’ entre ambos os lados do Atlântico no último Natal.

Vários mercados com valores históricos

Esse crescimento na operação geral entre a América Latina e a Europa reflete-se aos aumentos que a Iberia tem programado nos diferentes países da América Latina.

  • A rota entre Argentina e Espanha encerrará 2024 com três voos diários, o que representa um crescimento de 50% em relação à temporada de inverno anterior na Europa. Durante o verão europeu, a companhia já tinha aumentado suas frequências semanais, passando de 14 para 17, operando agora três dias da semana com três frequências.
  • O Brasil é um dos países que representa um maior crescimento, devido ao aumento para 14 frequências semanais na rota com São Paulo na próxima temporada de inverno europeu. A evolução foi gradual, subindo de 7 para 10 frequências semanais em abril, e para 11 desde junho, mantendo-se até setembro. O Rio de Janeiro, por sua vez, conta com seis frequências semanais desde junho.
  • Na Colômbia, após o aumento para três voos diários registrado no último inverno europeu, a rota entre Bogotá e Madri terá 21 frequências semanais ao longo do ano. Essa é a mesma capacidade do mercado mexicano.
  • O Peru, por sua vez, também terá uma capacidade histórica este ano, consolidando 13 frequências semanais, ou seja, dois voos diários, exceto às quintas-feiras.
  • Já Santiago do Chile, contará com um voo adicional entre junho e setembro, chegando a 11 frequências semanais neste período, enquanto o resto do ano manterá as 10 frequências. A mesma capacidade se aplica ao Equador, com a rota entre Quito e Madri operando um voo diário (7 frequências semanais) durante todo o ano de 2024, enquanto Guayaquil terá três frequências por semana.
  • Assim como o Peru, Montevidéu (Uruguai) também terá uma capacidade histórica esse ano, pois contará com um voo diário ao longo de 2024, enquanto Caracas, na Venezuela, consolidará o crescimento para cinco frequências por semana.
  • No Caribe, a República Dominicana, que iniciou o ano com nove frequências semanais em janeiro e 10 em fevereiro, registrará um novo aumento, passando para 8 frequências em novembro e 10 em dezembro, continuando a crescer na temporada de inverno na Europa.
  • Ao mesmo tempo, Porto Rico registra um aumento significativo, tendo na maioria dos meses do ano sete frequências semanais, enquanto no ano passado esse número ficou entre quatro e cinco. Havana, em Cuba, terá três frequências semanais.
  • Na América Central, as rotas entre Madri e Costa Rica, Guatemala e El Salvador mantêm o voo diário, enquanto o Panamá terá quatro frequências por semana.