A Fraport Brasil informa que está atuando em cooperação com o Mpor (Ministério de Portos e Aeroportos) e Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) para que a recuperação do aeroporto ocorra da forma mais célere possível. Nesse contexto, ações estão em andamento para que o terminal aeroportuário retome suas atividades, conforme descritas a seguir.

No dia 3/6, exato um mês após a suspensão das operações, a Fraport iniciou o processo de limpeza do Terminal de Passageiros, acessos viários, pista de pouso e decolagem e taxiways. A limpeza geral do Terminal deve encerrar até o dia 16/6. Esta consiste nas áreas públicas do piso 1, sala de desembarque doméstico e internacional, sala de embarque remota, corredor de serviço e doca doméstica e internacional.

Após esta atividade, se inicia a limpeza das áreas técnicas, como área de manejo de bagagens e data center. Em paralelo, segue a limpeza técnica de equipamentos que dependem de desmontagem. Como muito dos equipamentos foram alagados, eles têm que ser removidos, desmontados, limpos e, só depois disso podem ser energizados para os testes. Se forem energizados antes de todo esse processo, corre-se o risco de, inclusive, danificá-los ainda mais.

A pista de pouso e decolagem já foi totalmente limpa, bem como as taxiways K e L. As vias de acesso em frente ao Terminal, e as que ligam ao antigo Terminal 2 também já foram liberadas. O processo de limpeza está bem adiantado, mas segue em andamento, pois ainda há muitas áreas para serem processadas, como as demais taxiways e os Pátios 1, 2, 3 e 4.

O fornecimento de energia ainda não foi reestabelecido no sítio aeroportuário. As subestações de energia, que recebem a energia da rede e distribuem ao sítio precisarão ser reconstruídas. No momento, o Terminal de Passageiros está funcionando com geradores.

Diagnóstico na PPD (Pista de Pouso e Decolagem)

Na semana do dia 3/6 começaram as extrações de amostra de solo e asfalto da PPD. Esta semana (10/6), mais extratos serão enviados para análise de um segundo laboratório. “O objetivo é trabalharmos com três ou quatro laboratórios simultaneamente, para termos a melhor análise e reduzir o máximo possível o tempo dos ensaios”, esclarece Cássio Gonçalves, diretor de Infraestrutura & Manutenção da Fraport Brasil.

Outros testes na pista devem ocorrer nos próximos dias. Chamados de ensaios não destrutivos, o primeiro consiste em um escaneamento completo da pista por meio de um laser. O segundo é o HWD (Heavy Weight Deflectometer, ou no português Deflectômetro de Impacto Pesado). Este se trata da medição para avaliar a condição estrutural da pista. O resultado destes testes é aguardado para meados de julho. Só então será possível determinar os impactos sofridos e definir os próximos passos a serem tomados.

Diversas notícias foram veiculadas com a especulação de prazos para a reabertura do aeroporto. A Fraport Brasil reitera que o segue o disposto na Portaria Nº 14.654, emitida pela Anac, que define que as operações do Porto Alegre Airport estão suspensas por tempo indeterminado. A Empresa só poderá ter uma previsão de abertura, após o resultado dos diagnósticos, tendo em vista que as análises que estão sendo feitas são de grande importância para a garantia de um retorno seguro aos passageiros, aeroviários e comunidade aeroportuária.