Lula e Fumio Kishida durante encontro do G7 - Foto: Ricardo Stuckert

Na reunião bilateral travada em Hiroshima, na última sexta-feira (19), antes da cúpula do G-7, o primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida, afirmou ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) que vai adotar a isenção de visto aos brasileiros.

A decisão vem uma semana depois de o governo retomar a exigência de visto para turistas de Japão, Estados Unidos, Austrália e Canadá. A regra já existia, mas foi alterada pelo ex-presidente Jair Bolsonaro em 2019 e agora volta a vigorar a partir de 1º de outubro pelo princípio da reciprocidade. Ou seja, o Brasil exigirá o documento porque esses mesmos países exigem visto a turistas brasileiros.

“O primeiro-ministro Kishida anunciou que o governo do Japão iniciaria procedimentos para a introdução da isenção de visto de curta duração para portadores de passaporte comum do Brasil”, diz um comunicado do governo japonês sobre o encontro com Lula.

O Japão tem incentivado as viagens internacionais de seus cidadãos como forma de aquecer o mercado de companhias aéreas, assim como espera fôlego do turismo nacional em meio ao iene fraco frente ao dólar e ao controle da covid-19 em todo o globo.

Fonte: Agência Brasil